Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A matéria da vida

Quarta-feira, 28.02.24

"Infeliz o homem, que não tem em sua casa um lugar onde possa ficar sozinho, para se poder visitar a si mesmo, para se esconder!"

Montaigne

Uma vida bem vivida deve ter uma parte de trabalho, e outra dedicada a descobrir em que consiste a vida, em contemplar a vida. Montaigne escreveu: « Cortemos os laços que nos unem uns aos outros; conquistemos para nós próprios a capacidade de viver inteiramente sozinhos e de acordo com a nossa vontade». Mas, abdicar do trabalho pode ser trazer consigo males espirituais, caso disponha de muitos livros e se dedique apenas em olhar para eles, dizia Séneca. No caso de Montaigne, quando se aposentou, segundo ele, a sua mente começou a galopar como um cavalo em fuga. Então, vendo que a sua mente estava repleta de criaturas fantásticas, decidiu assentá-los para poder analisar  tão estranhos pensamentos. Daí começarem a surgir os seus  famosos ensaios.

Créditos - A Vida de Montaigne de Sarah Bakewell

Este texto é uma reflexão sobre o que fazer na aposentação. Montaigne descobriu que as simples coisas do dia-a-dia eram passíveis de serem analisadas e motivo de reflexão. E também que tudo o que nos acontece pode ser motivo de escrita. Muita gente ao reformar-se sente-se inútil, quando na verdade essa deve ser a altura em que se deve iniciar a descoberta dos segredos da vida. Tudo nos pode fornecer matéria ao pensamento. A vida consiste em viajar por ela e só assim se pode chegar à conclusão de que por detrás de tudo o que nos acontece, seja bom ou mau, tudo reside na complexidade da descoberta de que a nossa própria vida pode ser transformada em húmus onde germinam  ideias e outras coisas extraordinárias.

Acabo com um pensamento de Montaigne: " Se a minha mente conseguisse decidir-se convictamente, não escreveria ensaios: eu tomaria decisões; mas ela está sempre a aprender ou a experimentar".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Folhasdeluar às 07:47


4 comentários

De cheia a 28.02.2024 às 14:40

De acordo. Nos muitos anos, que levo de reformado, nunca me senti inútil, nem me faltou que fazer. Todos os dias tenho de decidir o que é prioritário.

Um abraço.

De Folhasdeluar a 29.02.2024 às 14:23

E é assim que deve ser. Manter o corpo e o espírito ocupados...:)))abraço

De cumplicedotempo a 28.02.2024 às 23:50

uma belíssima reflexão e não é preciso se chegar a reforma para assim se pensar
que bela partilha Folhas de luar
Fica um abraço cúmplice

De Folhasdeluar a 29.02.2024 às 14:30

Claro que não, contudo pode ser um caminho para quem pense que a reforma é apenas um passo para a inactividade. Pensar a vida e nas coisas simples do dia-a-dia é uma óptima forma de ocupar o tempo e desenvolver o pensamento. De facto todos podemos fazer isso em qualquer altura da nossa vida, mas Montaigne achava que existem dois tempos, o tempo em que desenvolvemos a nossa profissão e o tempo da reflexão e da filosofia da vida...:)))abraço cúmplice

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Fevereiro 2024

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829